Pedra

Ai! Como eu queria ser pedra…

Dizem que as pedras não sentem,

Mas se fosse pedra diria que vocês mentem?

Talvez… Não sei! Não sou pedra ou calhau,

Nem tão pouco rocha ou montanha.

 

O que sei é que é preciso ter cara de pau!

Como ousais, pedra, a não sentir?

Quer do rir, chorar, envejar e mentir?

Não tens tu qualidades e defeitos?

 

Olha que sorte! Olha que azar?

Mas que dois! Um anjo e um diabo,

Que não tenho mais que fazer vêm para aqui mandar!

Não sei se vos mando embora…

Se calhar era melhor ouvir os dois,

Antes que escolham outra para pregar.

Sofia Santana

1_11

 

O Capítulo II do livro “Dark Love” está disponível! Espero que se deliciem nesse carrossel de emoções e sentimentos…

parque-de-monserrate

Spoiler: casa do Pietro

O palácio de Monserrate, em Sintra, Portugal. Aconselho que visitem, é realmente inspirador. Também aconselho a ouvir Il Volo enquanto estiverem a ler o capítulo, são um trio de crossover clássico italiano fabuloso.  

Link do capítulo: Capítulo II

Imaginem e amem muito,

Sofia Santana

Cinzas do amor

E como um grande tornado arrancou o meu coração das suas raízes! Despedaçou-o em milhentos pedaços, pedaços esses que eram espelhos das nossas memórias felizes. Com o tempo, cada pedacinho ardeu, lentamente e dolorosamente, tornando-se em cinza e pó, esperando o dia do seu renascimento como um todo…Com batimento e sentimento.

Sofia Santana

1_10

A viagem pela loucura que a doença mental pode trazer é cada vez mais profunda… Está finalmente disponível a segunda parte do Capítulo I do livro “Danger Desire”.

Qualquer tipo de doença, perturbação ou transtorno mental ou físico, deve ser sempre encarado com respeito, talvez seja por isso que neste livro mergulhe por esta doença psiquiátrica, que mesmo nos dias de hoje é tão desconhecida e alvo de preconceitos erróneos. Por isso, com este livro pretendo esclarecer o que realmente acontece dentro da mente destas pessoas que tanto sofrem a viver vidas em que a realidade se mistura com as suas próprias criações. Quero também realçar a importância de se encontrar o apoio necessário junto de um psiquiatra e psicólogo, os profissionais mais aptos a fazer intervenções que visam apenas restabelecer o bem-estar destas pessoas, ou de quaisquer outras que tenham outros tipos de perturbações, transtornos ou doenças. Não é objectivo fazer julgamentos ou aplicar técnicas que há muito foram abolidas.  Desta forma deixo esta pequena nota, que esclarece um pouco o que vai ser abordado no livro, ainda que de uma forma romanceada. Também aproveito para dizer que sou promotora da diferença e, como tal, não permitirei comentários homofóbicos contra as minhas personagens, que possam vir a ser potencialmente parte da comunidade LGBT. 

Imaginem e amem como nunca!

Sofia Santana

Será mesmo?

Todos os dias sonho com o momento em que poderei ver o teu rosto outra vez, no meio da certeza da indiferença que me será retribuída na dura realidade. Mas a noite estrelar e a lua cheia de luz e brilho sempre me ajudam a imaginar inúmeros cenários diferentes. Como os sonhos são maravilhosos e deliciosos! O meu outro lado, mais sério, prefere fechar os olhos e ter a esperança que a ideia dos Mundos Paralelos seja provada o mais rápido possível.

Há quem considere essa coisa uma simples emoção. Também há quem defenda com punho comunista que ela é merecedora de mais crédito e lá dizem que é um sentimento, por ser mais duradouro do que a atração e a paixão, e por ser vivido com uma intensidade quase desumana. Quanto ao meu entendimento, eu prefiro considerar-me uma romântica incurável dos romances da Jane Austen.

Uma vez este sentimento manifestando-se, entrando que nem um parasita de bigode, bengala e chapéu, nunca mais sai… Pelo menos quando é autêntico e verdadeiro. Esse é o que procuramos, as coisas falsas têm o seu tempo de duração – curto, atraindo apenas a sombra da nossa alma. Não à volta a dar, não há como apagar tudo, quando duas almas se unem, fazem-no de livre vontade. Funcionam nos extremos de um íman e no seu meio, dançam o tango com a facilidade de um bailarino. Ai! Eu amo todo o teu ser, com todas as qualidades e defeitos. Se é uma mistura explosiva de sentimentos e emoções? É, e não só. Também é paradoxal, uma grande confusão, confesso, mas culmina num só. Imaginem um retrocesso do Big Bang até à partícula de Deus, à velocidade da luz. Num só ponto junta toda a imensidão…  E aí surge a minha resposta. Que coisa é? É o tolo do amor!

No entretanto? Fica por entre linhas, esquecida a dor dilacerante. Ela espalha-se como um veneno, ela corroí-me como o oxigénio a uma maçã. Eu sinto… eu sinto tantas coisas em cada neurónio, axónio e dendrite! Sinto que queima, gela, arranca-nos com a força de um furacão da terra com raízes e tudo, desafia-nos, rodopia connosco e haje pela calada dos espelhos da nossa mente… Mas no fim, essa coisa traz o equilíbrio e jamais me deixa cair com a cara na rua da depressão. Podem dizer que sou muito nova e inexperiente para saber que a coisa que move a minha existência e do Universo és tu e o amor verdadeiro, mas tenham em conta que Einstein faria a mesma opção que eu, e ele não saiu-se nada mal na vida. Por me tornar mais forte, a cada vez que bate o ponteiro dos segundos, não tentaria mudar a situação, porque sei que esta coisa é o maior mistério do ser humano e a grande fórmula mágica para a paz. Por isso, todas as vezes que alguém me diz que encontrarei alguém diferente um dia, sei que nada em mim acena positivamente perante isso, e que a única coisa a formar-se no meu tímido rosto será um grande sorriso sarcástico.

Sofia Santana

tumblr-love-31

Feliz Dia da Mãe

Querida mãe,

Um dia o meu olhar conheceu o teu, cruzaram-se sem acasos, e todo o meu mundo se tornou toda a tua existência. Mas algo nos ligava antes disso. Uma bonita e complexa história já estava a ser escrita sobre nós, por um génio que nunca conheci, cheia de emoções e ligações que jamais poderão ser rompidas. Hoje eu olho para ti e vejo… vejo uma Mulher na qual estão concentrados todos os sonhos, lutas, conquistas e modelos que alguém pode seguir. Se eu disser que te amo, isso não é o suficiente. Tu és a bailarina que vai dançando os caminhos em sapatilhas de pontas, que fazem feridas sangrentas nos pés, afastando o ar impuro que me quer ferir. Ao mesmo tempo, todos os teus movimentos são dotados de uma grandiosidade, graciosidade e delicadeza jamais vistas. Se há mãe como tu? Jamais! A tua peça é a mais completa e complexa: cheia de ensinamentos valiosos e que tenciono honrar todos os dias. Eu gostava que considerassem o Dia da Mãe todos os dias, porque assim não precisava de uma desculpa para declarar desta forma o amor que vive no meu coração. Esta forma, que acho ser a melhor homenagem para uma Mulher de talentos e desligada dos bens materiais, se não diz o suficiente sobre a Mulher que me carregou durante quase oito meses, um Mundo inteiro anda cego. Porque hoje, no dia em que te olhei e no último dia que verei, o meu coração sempre terá dentro de si uma fonte infinita de amor para a Mulher que neste momento deve ter uma lágrima no canto do olho.

Por isso tem um bom dia doce e colorido.

Só posso desejar um bom dia para uma pessoa maravilhosa, que a cada dia me enche de felicidade num mundo cinza. Cada cor é me dada por ti como uma dádiva que só uma mãe pode dar. E é por isso que sorrio, porque aprendi a ver pelo arco-íris. Que mestre fantástica! Que mestre corajosa!

Beijinhos gigantes da tua filha,

Sofia Santana

Mãe e Pai, eu amo-vos…

Se um raio de luz não entrasse todos os dias pelo freio, a minha escuridão engolia-me num fim mísero. Mas essa luz é tão forte… É tão bonita… Que a minha vida se torna num arco íris. Essa luz são vocês, mamã e papá. São a razão para a minha razão não se desfocar. São o apoio da força de um diamente e da Fofura de um urso de peluche. São tudo o que alguns não têm e por isso se tornam amargos e longe de entender a vida. Vocês iluminam todos os meus caminhos com a precisão de um artesão chamado Da Vinci. Quem não sorriria mesmo num momento como este? Eu sorrio,porque vos amo e sigo a iluminação. Eu sigo porque também quero iluminar. Beijinhos

Sofia Santana

Quem disse que era fácil? 

Todos os dias olho para os lindos montes da serra à minha volta… E todos os dias imagino como seria se estivesses ao meu lado para ver o que deve ser contemplado nos montes cheios de rochas, ouvir o que os filhotes passarinhos cantam baixinho, de manhã, junto à minha janela, num dos muitos ramos do pinheiro gigante… O mais triste é saber que tal dia nunca chegará, porque eu amo demais o que nunca me amou. Quando dou conta disso, baixo a cabeça e deixo por uns segundos todas as emoções reprimidas virem ao de cima. Eu choro, tenho raiva, sinto culpa… Depois deixo a minha imaginação reconfortar-me outra vez num mundo paralelo, onde a tua mão, coração e paixão são verdadeiros. 

Sofia Santana